Plano de saúde empresarial: como contratar o melhor?

Como contratar o melhor plano de saúde empresarial é a pergunta que todo gestor faz na hora de buscar por esse serviço. Essa é uma modalidade de assistência médica coletiva comercializada apenas para empresas. Como vantagem desse tipo de contratação,…

Por Felipe Baeta

10 minutos de leitura


Como contratar o melhor plano de saúde empresarial é a pergunta que todo gestor faz na hora de buscar por esse serviço. Essa é uma modalidade de assistência médica coletiva comercializada apenas para empresas.

Como vantagem desse tipo de contratação, podemos destacar preços mais competitivos — se comparado a uma contratação de plano individual. Além disso, o beneficiário pode colocar como dependentes seus familiares, como cônjuge e filhos.

Para o gestor responsável por contratar o plano empresarial, existem diversos fatores a serem analisados, como cobertura contratual, valores e sinistralidade. No entanto, a contratação da assistência médica traz diversas vantagens para a empresa: aumento da motivação, engajamento e produtividade do funcionário.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é a responsável pela regulamentação dos planos de saúde e oferece canais para pesquisa a respeito da reputação e cobertura dos planos.

Ao longo desta leitura, você vai entender melhor como o plano de saúde empresarial funciona, os motivos pelos quais sua contratação é tão vantajosa para o empregador e como escolher o melhor para a sua empresa. Acompanhe!

O que é o plano de saúde empresarial?

O plano de saúde é um benefício importante concedido aos colaboradores de uma empresa. Além disso, segundo pesquisa desenvolvida pelo portal de empregos Catho, essa conveniência oferecida aos funcionários está entre os principais motivos para um profissional escolher uma organização para trabalhar. Os dados mostram que 74,6% das pessoas enxergam a assistência médica como um motivador para se manterem no trabalho.

Para as empresas, as vantagens da contratação de um plano de saúde empresarial são muitas, já que esse tipo de assistência é fundamental para garantir a manutenção da saúde dos trabalhadores, reduzir gastos com afastamentos e também atrair e reter talentos.

Nesse sentido, contratar um plano de saúde é um investimento para os empregadores, principalmente se analisarmos os retornos em médio e longo prazo.

Como funciona o plano de saúde empresarial?

Essa modalidade de plano funciona da mesma forma que qualquer outro plano de saúde. Contudo, ele é comercializado apenas para pessoas jurídicas (PJs). O objetivo é oferecer assistência médica para os colaboradores da contratante, com contrato assinado entre a operadora e a empresa.

Quais as dúvidas mais recorrentes ao contratar um plano de saúde empresarial?

Escolher um plano de saúde empresarial é um grande compromisso e podem surgir algumas dúvidas na hora de fechar o contrato com a operadora. Por isso, separei os questionamentos mais recorrentes para ajudar você. Saiba mais!

Coparticipação

A coparticipação é um percentual cobrado em cima da tabela de procedimentos. Funciona assim: a empresa paga uma mensalidade e, cada vez que um procedimento é realizado pelo colaborador, incide uma taxa cujo valor depende do procedimento efetuado. Esse pagamento deve ser feito a parte à operadora de saúde, sendo cobrado do colaborador o valor parcial ou em sua totalidade.

A vantagem dos planos coparticipativos é que as mensalidades são mais baixas e só aumentam se o serviço for, de fato, utilizado. Outro fator que torna essa modalidade de plano atrativa é que o funcionário tende a ter uma maior responsabilidade acerca do uso do plano — o RH da empresa pode descontar da folha de pagamento o valor cobrado pela operadora de saúde. Com isso, fica mais fácil administrar a sinistralidade do plano.

Adesão ao plano pelos colaboradores

A adesão ao plano empresarial não deve ser obrigatória para os trabalhadores da empresa, visto que é um benefício oferecido e não compulsório ao empregador. Dessa forma, fica a cargo do colaborador a escolha por aderir ou não — e ele deve comunicar à empresa a sua decisão.

Sinistralidade

O índice de sinistralidade é o resultado do cálculo entre arrecadação das operadoras de saúde e gastos com despesas médicas dos funcionários da empresa. Nesse sentido, a cobrança é feita conforme a atividade exercida pelos trabalhadores da organização: quanto mais perigosa a atividade executada, maior a tendência do índice crescer.

Para reduzir os custos com cirurgias, internações e outros procedimentos de saúde, é cobrada uma taxa por parte das operadoras que, de modo geral, não é repassada logo de início para a empresa.

Desse modo, avaliar os critérios utilizados nesse contexto é fundamental para evitar o desgaste de relacionamento entre a empresa e a operadora, ao passo que essa taxa costuma ser elevada depois do reajuste de mensalidades.

Encerramento de contrato

As regras para encerramento do contrato devem constar no documento assinado entre as partes. No entanto, algumas condições especiais merecem atenção.

Sem o consentimento da operadora de saúde, o contrato pode ser rompido em caso de fraude. O outro caso em que isso pode acontecer é após um ano da assinatura, expedindo notificação com prazo de 60 dias. O mesmo vale para a empresa que contratou.

Veja a seguir outros casos em que os contratos podem ser encerrados!

Funcionários desligados

Nas relações entre empresa e funcionário, deixam de se beneficiar do plano empresarial os colaboradores desligados da empresa — com exceção dos demitidos sem justa causa e aposentados.

No caso dos colaboradores desligados sem justa causa ou que se aposentaram, é assegurado o direito à manutenção do plano no período de 1/3 do tempo que contribuiu para a manutenção do contrato.

Eles podem usufruir do serviço no tempo mínimo de 6 meses e máximo de 24 meses após o afastamento da empresa, nos termos dispostos no art. 30, parágrafo 1º da Lei 9.656/98. No entanto, devem seguir algumas regras:

  • formalizar a manutenção após 30 dias do comunicado da empresa;
  • arcar com o pagamento integral do plano por beneficiário;
  • ter contribuído, em parte com o plano, quando na ativa.

Em relação aos dependentes, esses possuem o direito extensivo do plano de saúde, caso o empregado desligado ou o aposentado assim desejar.

Dependentes

Os usuários dependentes deixam de se beneficiar com o plano de saúde quando não cumprirem aos requisitos: casos em que ocorre a separação do cônjuge ou quando os filhos completarem 21 anos de idade.

Como escolher o plano de saúde para a empresa?

Contratar um plano de saúde empresarial ideal para a empresa exige várias análises. Somente assim você conseguirá chegar ao melhor custo-benefício. Descubra abaixo como realizar uma escolha acertada!

Faça o levantamento das necessidades dos colaboradores

Primeiro, você precisa entender as necessidades do seu público interno. Para tanto, é preciso traçar o perfil dos trabalhadores, fazendo o levantamento das necessidades deles.

Você vai precisar de informações como idade, dependentes e qual o local de residência. O segundo passo é elaborar uma pesquisa interna rápida com perguntas que têm o objetivo de encontrar as principais necessidades dos trabalhadores.

Verifique a reputação das operadoras

Para garantir a qualidade dos serviços prestados e encontrar as melhores operadoras, consulte o site da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Nele, você tem acesso a uma vasta lista de operadoras contendo diversos comentários e/ou reclamações.

O portal da ANS é um dos mais confiáveis, não só por estar ligado ao Ministério da Saúde, mas também por divulgar uma lista com as operadoras e os planos que foram cancelados.

Além disso, é possível verificar a reputação das operadoras e analisar quais tinham, em seu rol comercial, planos de saúde empresariais comercializados de forma ilegal ou que não cumpria os prazos impostos pela Agência.

Pesquisar em sites de reclamação, consultar o Procon e pegar referências com outras empresas é fundamental para validar a reputação das operadoras. Buscar por empresas que ofereçam auxílio na gestão de plano de saúde também é importante.

Informe-se sobre a cobertura

Um fator essencial na hora de contratar um plano de saúde empresarial é saber quais são as necessidades da empresa e dos funcionários, assim como estar ciente das coberturas mínimas asseguradas por lei.

Em caso de abrangência regional, é importante que você saiba que o atendimento será restrito somente à área prevista no contrato. O atendimento estará assegurado para todo o território nacional, em caso de contratação de plano com abrangência nacional. Para escolher a melhor cobertura, avalie a necessidade de seus colaboradores.

Verifique a portabilidade de carência

A partir de junho de 2019, começaram a valer as novas regras para portabilidade de carência no plano empresarial. Assim, os usuários poderão migrar de plano ou de operadora sem a necessidade de cumprir carência.

Outra modificação feita pela ANS é que o prazo para exercer a troca — a chamada “janela” —, deixa de existir, como também a necessidade de compatibilidade de cobertura entre planos. Dessa forma, o beneficiário passa a cumprir carência somente para os serviços extras.

Com as novas regras, você pode aumentar a cobertura do plano coletivo empresarial. No entanto, as exigências de compatibilidade de valor dos planos são mantidas para a grande parte dos casos.

O usuário deve consultar os planos compatíveis com o atual para realizar a portabilidade de carências. É possível pesquisar planos compatíveis por meio do Guia ANS de Planos de Saúde, no site da Agência.

Dê atenção ao contrato

O contrato com a operadora de saúde deve ser amplamente analisado para que você entenda todas as cláusulas e condições. Questões como período de carência, por exemplo, devem ser informados de forma clara.

É preciso ficar atento ao índice de sinistralidade e também ao prazo do índice de reajuste na mensalidade, que acontece, de forma geral, anualmente. Você pode pesquisar o percentual de reajuste do ano anterior na internet ou verificar diretamente com o seu contato na operadora do plano de saúde.

Essa pesquisa te ajudará a identificar quais são os planos e operadoras com maior índice de aumento anual. Isso é necessário, porque a Agência Nacional de Saúde não limita o índice de aumento do plano de saúde empresarial — o aumento fica por conta da operadora.

Verifique os valores

Uma das grandes vantagens para o plano de saúde empresarial é que ele tem um valor bem abaixo de um contrato individual. O motivo é que esse tipo de contrato abrange mais pessoas e, com isso, a operadora tem uma flexibilidade maior para negociar valores mais baixos.

O preço cobrado pelo plano empresarial é calculado considerando vários fatores, a destacar:

  • número de profissionais que irão aderir o plano empresarial;
  • perigo na atividade exercida pelo beneficiário;
  • idade dos colaboradores;
  • tipo de cobertura;
  • abrangência da cobertura.

Logo, pesquise os valores no mercado, mas não abra mão da qualidade. É comum algumas operadoras oferecerem planos empresarias com preços atrativos, mas com cobertura de serviços restrita. Dessa forma, você deve ter em mente que é preciso priorizar a qualidade em vez do desconto.

Caso você priorize o preço, pode prejudicar toda a efetividade desse benefício: caso não atenda às necessidades dos colaboradores, isso pode gerar reclamações, interferindo negativamente no clima organizacional da empresa.

Analise a cobertura do plano de saúde empresarial

Para contratar a cobertura que melhor se adeque às necessidades de seus colaboradores, você pode consultar a pesquisa respondida por eles para saber onde residem.

Caso a maioria more dentro do perímetro urbano de cobertura do plano, não existe a necessidade de optar por cobertura nacional ou internacional.

Quais são os tipos de plano de saúde para os colaboradores?

Existem vários tipos de planos de saúde empresariais. Para escolher o melhor, avalie a necessidade do público interno, as condições da empresa e a necessidade de cobertura. Separei os principais para você. Veja!

Plano de referência

Essa é a modalidade de plano mais completa e deve contemplar:

  • atendimentos médicos;
  • internações;
  • tratamentos;
  • exames laboratoriais;
  • de imagem;
  • obstetrícia;
  • cirurgias.

O plano de saúde empresarial de referência é compreendido pelo atendimento de urgência e emergência integral, com leito em enfermaria ou apartamento.

Plano ambulatorial

O plano coletivo ambulatorial compreende serviços básicos em:

  • clínicas;
  • consultórios;
  • clínicas de diagnóstico;
  • exames.

O atendimento é feito em ambulatório, de várias especialidades, com internação em hospital-dia — com duração de atendimento hospitalar para um período máximo de 12 horas.

Entre o rol de cobertura estão:

  • radioterapia e quimioterapia, se não houver necessidade de internação;
  • hemodiálise;
  • hemoterapia ambulatorial;
  • diálise.

Plano hospitalar

Esse atendimento acontece em hospitais somente para a modalidade de internação, com procedimentos cirúrgicos e a cobertura de todos os serviços para a realização dos procedimentos necessários. Não há tempo máximo de permanência na internação, pois a lei não permite.

Plano hospitalar com obstetrícia

Da mesma modalidade do plano hospitalar, o plano acrescenta os serviços de obstetrícia, que contemplam:

  • pré-natal;
  • serviços médicos pós-parto;
  • internação para o parto;
  • cuidados com o recém-nascido por 30 dias.

Quais são os benefícios de ter um plano de saúde empresarial?

São várias as vantagens de oferecer esse benefício a seus colaboradores. Veja os principais a seguir!

Cuidado com a saúde

Ter acesso a um plano de saúde empresarial ajuda o colaborador a ter acesso às emergências médicas e também à profilaxia de doenças.

Além disso, é conferida uma maior tranquilidade para que eles possam cuidar da saúde contando com um suporte da empresa. Isso acaba refletindo em um maior desenvolvimento no trabalho e em ações que possam levar inovação para a empresa.

Redução de absenteísmo e afastamentos

É sempre válido reforçar que trabalhadores mais saudáveis faltam menos ao trabalho. Isso acontece, porque eles podem contar com os serviços do plano de saúde para exames rotineiros e para acompanhar a sua saúde com atenção e cuidado.

Como resultado, eles praticam um acompanhamento preventivo de doenças, se apresentam mais disponíveis para a empresa, faltando menos às suas atividades laborais.

Elevação do diferencial competitivo da empresa

Quando a sua organização se preocupa em oferecer um bom plano de saúde para os seus colaboradores, você contribui para a formação de uma marca empregadora, capaz de atrair e reter os melhores talentos.

Além disso, contar com profissionais mais saudáveis eleva a competitividade da empresa no mercado, pois eles se afastam menos do trabalho por motivos de doença, por exemplo.

Assistência em situações de acidentes de trabalho

Talvez uma das maiores vantagens para o empregador ao contratar um plano de saúde empresarial seja a cobertura em casos de acidente de trabalho.

É certo que esse tipo de situação deve ser evitada e a empresa deve manter medidas preventivas para isso. No entanto, o plano de saúde contribui para solucionar situações inesperadas e de ajuda imediata, visto que o trabalhador é prontamente assistido.

Funcionários mais motivados

Ao contar com um plano de saúde empresarial, seus colaboradores entenderão que a empresa se preocupa com o bem-estar e qualidade de vida deles.

Como consequência, a tendência é que eles se tornem mais fiéis, contribuindo para que o clima organizacional se mantenha positivo. Assim, mais uma vez o aumento da produtividade é favorecido, além dos trabalhadores se manterem mais focados para retribuir esse importante benefício oferecido.

Qual a diferença entre plano de saúde e seguro saúde?

É comum as pessoas usarem as expressões plano de saúde e seguro saúde como sinônimos, mas existe diferença entre esses dois termos. Vamos lá, irei te ajudar a entender melhor sobre isso!

Plano de saúde

O plano de saúde oferece ao beneficiário um pacote de serviços para a manutenção da sua saúde. Para tanto, é contratado um termo de adesão assinado pelo contratante.

Os serviços são limitados ao conjunto de profissionais credenciados pela operadora. De forma geral, esses profissionais são médicos e serviços atrelados às clínicas, laboratórios e hospitais.

Esses serviços ficam disponíveis para consulta pelo site da operadora e por livretos. O beneficiário entra em contato para agendar uma consulta eletiva ou, em casos de urgência, pode ser atendido no pronto-atendimento de hospitais.

Caso o serviço utilizado esteja dentro da cobertura do contrato, não será preciso pagar nada a mais por isso, pois todos os custos ficam dentro da mensalidade do plano. No entanto, se o tratamento estiver excluído da cobertura, em regra, o beneficiário precisa arcar com os custos em sua totalidade.

Seguro de saúde

No seguro saúde, o segurado pode escolher qual profissional ou serviço deseja utilizar. Ele arca com as despesas e depois recebe o reembolso da seguradora.

No entanto, o valor reembolsado nunca é de 100%. Assim, fica evidente que, quanto mais elevado o percentual assumido pela contratada, mais caro será o prêmio pago pelo segurado.

Qual dos dois é o melhor: seguro ou plano de saúde?

Isso depende da necessidade de cada usuário. O importante é não ficar sem assistência. A qualquer momento podem surgir imprevistos ou mesmo ser acometido por uma doença que requer atendimento médico e um acompanhamento mais próximo de especialistas.

Como fazer uma boa gestão desse benefício?

Como já mencionei, contratar o plano de saúde empresarial é fundamental para garantir a saúde, a motivação e, por consequência, o engajamento dos colaboradores.

Porém, para que esse benefício seja válido para todos, é preciso fazer uma boa gestão de plano de saúde e ficar atento a algumas questões que separei para você. Dê uma olhadinha!

Histórico de sinistralidade

É preciso ficar atento ao perfil de utilização do benefício pelos seus funcionários e manter uma consulta permanente aos índices de sinistralidade.

Com esse acompanhamento, é possível identificar quais são as soluções que trarão mais efetividade. A partir disso, é possível gerar mais economia de recursos, como o montante de capital empregado no pagamento do plano de saúde empresarial.

Identificação de riscos

Quanto maior risco o ambiente oferece, maior tende a ser o valor cobrado pelo plano de saúde empresarial. Por isso, é importante fazer o mapeamento das áreas e atividades da empresa, com o objetivo de identificar possíveis causas de perigo à saúde do colaborador.

Campanhas de conscientização do uso

Fazer campanhas internas de conscientização do uso do plano de saúde é fundamental para equilibrar o índice de sinistralidade e garantir que não haverá aumentos acima do previsto pela empresa.

Conclusão

Como vimos ao longo desta leitura, o plano de saúde empresarial é um benefício fundamental tanto para atrair e manter os melhores talentos quanto para garantir a saúde e o bem-estar dos trabalhadores no ambiente de trabalho.

Para tanto, é preciso ficar atento às várias questões que envolvem a contratação e também garantir uma assistência médica de qualidade. Com isso, o plano de saúde se torna, além de um benefício, um facilitador para o acesso à saúde.

Você pode contar com uma consultoria para plano de saúde para ser orientado sobre as várias questões que envolvem a contratação de serviços de uma operadora de saúde. Com o auxílio de uma consultoria, você tem todos os direcionamentos necessários para contratar uma assistência médica mais alinhada com os objetivos da organização.

Assim, sua empresa pode usufruir de um aumento da produtividade, à medida que eleva os índices de satisfação no trabalho e a acompanha a queda do afastamento por motivo de doenças.

Se você gostou deste post sobre plano de saúde empresarial e como contratar o melhor, entre em contato com a Piwi® para saber como podemos ajudá-lo(a)!