Conheça 7 custos de RH e saiba o que fazer para reduzi-los

Cada companhia em funcionamento contém objetivos individuais e outros semelhantes com qualquer empreendimento em operação. Assim como atuam a favor da lucratividade, também buscam amenizar as despesas. Em geral, procura-se reduzir custos de RH para balancear o orçamento. Contudo não…

Por Felipe Baeta

10 minutos de leitura


Cada companhia em funcionamento contém objetivos individuais e outros semelhantes com qualquer empreendimento em operação. Assim como atuam a favor da lucratividade, também buscam amenizar as despesas. Em geral, procura-se reduzir custos de RH para balancear o orçamento.

Contudo não se espante. O intuito não é fazer demissões em massa ou tomar outras decisões desesperadas. Basta aplicar as metodologias estratégicas corretas para que esse departamento trabalhe com foco em economia de longo prazo, a fim de garantir a produtividade da equipe e dos processos para melhorar os resultados.

Pensando nisso, produzi este conteúdo com 7 recomendações incríveis para diminuir custos de RH e, ao mesmo tempo, ter um time capacitado e uma folha menos onerosa. Confira!

1. Processos de RH

Uma das melhores formas de gerar economia em recursos humanos é com a automatização das atividades que o setor realiza no dia a dia de forma mecânica. A primeira sugestão é implantar um software de gestão que integre todas as informações geradas e obtidas, a fim de cruzá-las posteriormente.

Com o apoio dessa funcionalidade tecnológica, você gastará menos com arquivos (documentos) físicos e evitará a frequência de erros e retrabalhos. Vamos a um exemplo prático: imagine as etapas de contratação e desligamento de pessoal. Quando não são realizadas com precisão, podem expor a companhia a multas e processos trabalhistas.

Nesse caso, o sistema é muito útil, pois garante maior eficiência. Isso pode gerar uma economia posterior bastante significativa, sem contar a otimização do setor.

2. Contratação e demissão de funcionários

Ao implementar normas práticas sobre recrutamento e seleção, seu negócio gastará menos com contratações e demissões. Caso o candidato apresente o perfil profissional ideal para a função, os investimentos com capacitação serão bem direcionados para que o desempenho corresponda às expectativas da empresa.

Além disso, esse cenário eleva as chances de o colaborador ficar mais tempo na organização, contribuindo para a redução de gastos com novas seleções e rescisões. No que se refere aos desligamentos, os custos com encargos trabalhistas precisam ser cuidadosamente avaliados, assim como as perdas de profissionais talentosos e produtivos.

3. Treinamentos periódicos para a equipe

Por vezes, os custos de RH estão associados à ausência de capacitação da equipe para exercer suas atividades com autonomia e rapidez. Promover treinamentos periódicos ajuda a companhia a acompanhar a realidade do mercado e deixa os funcionários sempre atualizados.

Afinal de contas, aquelas empresas que eliminam esse tipo de investimento descartam as chances de aperfeiçoar a sua performance no mercado. Um exemplo são os vendedores: caso eles não vivenciem uma reciclagem contínua, podem não saber como converter a clientela (que está cada vez mais volátil), o que compromete o lucro do negócio como um todo.

4. Tempo dos colaboradores

Produtividade e eficácia são dois fatores indispensáveis para os setores que desejam economizar recursos financeiros. Para consegui-los, é necessário otimizar o tempo de trabalho dos colaboradores. Afinal, algumas atividades são desnecessárias, porém acabam consumindo boa parte da jornada dos colaboradores.

Portanto é importante focar no desenvolvimento das funções, encurtar a duração de reuniões, sendo que essas devem ser realizadas somente quando forem proveitosas, com horário de abertura e fechamento.

Outra prática é enxugar a frequência de horas extras. Nesse caso, use o banco de horas, defina metas atingíveis, promova campanhas que eliminem a procrastinação e empregue ações de engajamento para aumentar o nível de comprometimento do time.

5. Plano de saúde para funcionários

Uma opção inteligente para reduzir custos de RH por meio do plano de saúde é adotar a coparticipação. Trata-se da modalidade em que os valores das consultas, exames ou procedimentos médicos são repartidos entre empresa e funcionário.

Ainda que não seja o remédio definitivo para os gargalos de orçamento, essa decisão permite manter a cobertura e a qualidade dos serviços prestados, sem comprometer os gastos. Esse tipo de cobrança pode ter, inclusive, uma prática educadora, permitindo que as pessoas usem o convênio médico com moderação, sem excessos ou condutas impróprias.

Além disso, é essencial que o RH revise os benefícios corporativos ofertados à equipe. Considere, por exemplo, quais são os mais solicitados e pesquise por fornecedores que ofereçam planos com um melhor custo-benefício, sem que os colaboradores sejam prejudicados.

Outra boa ação é identificar os benefícios pouco usados e descontinuá-los, mediante aviso prévio, substituindo por algo mais proveitoso para ambas as partes. Vale reforçar que o objetivo não é prejudicar o time, mas sim cuidar para que todos executem seus trabalhos com mais comprometimento e eficiência.

6. Reserva financeira

A reserva emergencial (ou de contingência) é ideal para cobrir possíveis imprevistos operacionais, bem como desastres naturais ou greves. Ao adotá-la em sua empresa, é possível atender a eventualidades específicas, como uma ação judicial trabalhista, e liberdade para desligar profissionais que apresentam uma performance muito abaixo do esperado.

Tudo isso, sem prejudicar o patrimônio ou o capital de giro da organização. Além disso, providencie uma conta bancária para gerenciar a folha de pagamento, pois essa prática traz dois benefícios diretos:

  1. você não terá de vasculhar diversas contas para saber em qual delas foi feita a transferência da remuneração para a conta salário do funcionário;
  2. você terá uma visão mais ampla e detalhada sobre quais são os custos envolvidos na remuneração dos seus colaboradores, bem como as provisões para pagamentos de 13° e férias e os impostos direcionados ao governo.

7. Terceirização de cargos que não são foco do negócio

A terceirização também pode ser uma mão na roda para a diminuição de custos de RH. Nesse caso, a redução dos encargos torna-se evidente, pois as obrigações profissionais são pagas pela empresa contratada.

Serviços de atendimento via telefone, limpeza, preparação de alimentos, segurança e zeladoria são padrões de terceirizações bastante comuns dentro das companhias. Para descobrir se, de fato, vale a pena recorrer a esse método, coloque todos os detalhes na ponta do lápis.

Contudo vale mencionar que isso pode trazer prejuízos se a atividade for maçante e a demanda for excessiva. Não se esqueça de promover a integração entre contratados e terceirizados para melhorar o clima organizacional.

E então, o que achou das dicas para reduzir os custos de RH? Espero que as recomendações citadas acima possam melhorar o desempenho financeiro e operacional do seu negócio como um todo. Para isso, basta colocá-las em prática agora mesmo. Teste e comprove!

Se você achou este artigo útil e deseja ficar por dentro de novidades, assine nossa newsletter para receber notificações assim que novos materiais forem publicados.